Olá, amante da arte de viajar… Muito prazer!!

 Olá, visitantes.

Aqui quem vos fala é o Luiz. Sou o administrador deste blog, um cara apaixonado pelo hábito de viajar e, pela primeira vez, estou colocando um post que fala um pouco sobre mim mesmo. Diante do carinho que desenvolvi por este blog, ao longo deste tempo que estou desenvolvendo-o para aqueles que gostam de, assim como eu, viajar e, também, retribuindo a atenção que meus visitantes estão dando a este trabalho, achei que esta seria a hora de falar um pouco mais sobre mim…

Sou um cara que, desde sempre, trabalha bastante. Desde que saí da casa de meus pais, comecei a dar um valor extremamente alto a minha independência. Não somente à independência no sentido financeiro da palavra, mas à independência em todos os sentidos. A liberdade de ir e vir, de ter contato com o novo, de buscar sempre uma experiência inédita.

É sempre bom colocar que esse sentimento de liberdade não precisa ser necessariamente sozinho. Buscar coisas novas pode ser algo que posso fazer perfeitamente tanto sozinho, quanto na companhia de alguém. Ou, até mesmo, na companhia de “alguéns”. E a maneira mais interessante de experimentar esse tipo de sensação é através das minhas VIAGENS.

>>Dica: Segredos das Milhas Aéreas! Viajando quase que GRÁTIS! Clique aqui e Descubra:<<

Mas o hábito de viajar não nasceu em mim de maneira espontânea. Antes eu vivia estressado pelo trabalho e, quando chegavam minhas férias, só queria saber de ficar em casa descansando e comer e dormir o dia todo, ou seja, uma vida totalmente “sem graça”. E o pior: achava que, com isso, estava aproveitando da melhor maneira possível meu momento de descanso. Sei que, às vezes, ficar “de bobeira” pode ser até uma boa para recarregar as energias mas, nem de longe, é a melhor maneira de aproveitar um momento de folga. E eu não percebia isso…

Até que um dia, vendo as fotos de um amigo de trabalho no Facebook, vi os registros das férias dele que ele tirou na mesma época que eu. Eu vi fotos lindas das mais diferentes paisagens, com os mais diferentes tipos de pessoas, com os mais diferentes hábitos, entre outras coisas. ELE HAVIA FEITO ALGUMAS VIAGENS DURANTE ESSE PERÍODO. O mesmo período em que eu fiquei parado dentro de casa, esperando minhas férias acabarem para voltar ao mesmo ritmo de trabalho de sempre e adquirir um novo estresse…

Foi aí que percebi a importância daquele hábito do meu amigo. Ele voltou das férias MUITO MAIS REVIGORADO do que eu, mesmo tendo viajado bastante. Ver ele falando da viagem dele, o quanto ele se divertiu com a família, com os amigos, com a esposa numa viagem em casal, com seus pais idosos, foi algo realmente ADMIRÁVEL. Ele estava, com certeza, muito mais preparado para voltar para aquela rotina de trabalho do que eu…

Daí em diante, eu resolvi que deveria levar uma vida parecida com aquela, que complementava a sensação de liberdade que eu sempre prezei. Uma vida em que, nos momentos de lazer, eu pudesse aproveitar tal momento fazendo duas coisas simultaneamente: descansar fisicamente e me enriquecer mentalmente. Ou seja, dali em diante, eu resolvi começar a me apegar ao hábito de VIAJAR.

Todo mundo sabe: a rotina de um trabalhador, ou até mesmo daqueles que possuem seu próprio negócio, é algo que estressa demasiadamente o ser humano. Às vezes, é necessário sentir que você não precisa ficar preso àquilo em tempo integral, que você pode também criar um momento em que, provisoriamente, aquilo não faz parte da sua vida. E isso é o que eu chamo realmente de “sensação de liberdade”.

Claro que, inevitavelmente, para podermos desfrutar desse tipo de “sensação”, precisamos estar capitalizados. Mas, se somos trabalhadores e temos condições de guardar pelo menos uma pequena parte de nosso “ganha pão” mensal para dedicar ao nosso bem-estar, acho que isso não pode ser chamado de despesa e sim de INVESTIMENTO. Além do mais, existem alguma formas de reduzir estes gastos, como por exemplo os programas de milhas, oferecidos por diversos cartões de crédito.

E, para vivermos bem esse nosso investimento, a opção “VIAJAR” é uma das mais completas e diversificadas pois podemos “moldar” esse investimento de acordo com nossa personalidade, nossa situação financeira, nossa faixa etária ou nosso “estado de espírito” do momento. Por isso que esta opção é tão rica. Abrange todo público interessado em viver alguma experiência nova, seja esta pessoa rica ou pobre, jovem ou mais velha, casada ou solteira, homem ou mulher, etc. Tudo é apenas uma questão de PLANEJAMENTO.

Certa vez, estava extremamente estressado com meu trabalho e estava precisando de um momento de relaxamento. Para isso, programei minha viagem de acordo com esse estado de espírito e decidi fazer uma viagem super light para Caldas Novas/GO, onde aproveitei para relaxar em suas águas termais e fiz passeios supertranquilos e interessantes pela cidade. Este passeio fiz com minha namorada, que também é super adepta dessa minha “filosofia”.

>>Dica: Segredos das Milhas Aéreas! Viajando quase que GRÁTIS! Clique aqui e Descubra:<<

Em outra ocasião, estava vivendo um clima mais radical. Diante disso, chamei meus amigos mais próximos e resolvemos fazer uma viagem para o Rio de Janeiro/RJ, onde aproveitamos bastante os passeios radicais que envolvem salto com asa delta e parapente na Pedra da Gávea no bairro de São Conrado. Além de fazermos algumas trilhas por lá na própria Pedra da Gávea e na Floresta da Tijuca.  Foi bem legal e de acordo com meu estado de espírito à época.

E, por fim, estava num momento mais “zen” em que eu queria ficar um tempo sozinho e refletir sem interferências externas. Se fosse em outros tempos, eu teria ME TRANCADO EM CASA E NÃO TERIA SAÍDO DURANTE VÁRIOS DIAS. Graças a esse meu novo hábito, pesquisei e descobri um templo budista bem interessante em Foz do Iguaçu e parti para lá em busca da minha reflexão (embora eu não tenha uma religião específica, achei que essa experiência seria interessante). Tudo dentro de uma nova viagem, do tipo turismo religioso.

Em resumo, pode-se observar que viagem pode ser uma solução para qualquer momento da vida de alguém. NÃO IMPORTA O MOMENTO QUE VOCÊ ESTÁ VIVENDO. VIAJAR TEM GRANDES CHANCES DE SER UMA BOA SOLUÇÃO PARA ESTE MOMENTO.

Conselho meu: se estamos nesse mundo de passagem, não custa nada aproveitar para conhecê-lo bem, não é mesmo?

Espero, de coração, que as dicas que vocês encontrarão aqui sejam úteis para ajudar em suas próximas programações… Vale lembrar também que as dicas que são expostas aqui são frutos de experiências próprias e de outras amigos que, assim, como nós, são fãs do planeta Terra e de tudo o que ele tem a oferecer…rs.

Tenham uma boa viagem.

Booking.com

The following two tabs change content below.
Luiz Carahu é professor, carioca, e apaixonado pela arte de conhecer lugares novos. Sempre que é possível, dá uma escapada para dar uma monitorada no mundo e ver se está tudo em ordem pelo planeta Terra...

3 pensamentos sobre “
Olá, amante da arte de viajar… Muito prazer!!

  1. Gostei muito, li sobre Recife onde pretendo ir daqui a uns sessenta dias.
    Já estive hospedada em Recife, mas não lembro de ter conhecido os lugares que
    você relatou.
    Porto de Galinhas e Carneiros, bem como Itamaracá, já conheço.
    Vou voltar a estes lugares e pretendo ir a Maragogi-AL pois li que era melhor
    ir a Maragogi de Recife do que de Maceió.
    Vou seguir lendo seus posts.
    Porque não recomendas ir de carro para Carneiros?
    Amo viajar, faço em torno de quatro viagens por ano ao nordeste e sempre vou de
    passeios contratados na cidade onde chego.
    O inconveniente é que sempre levam aos mesmos lugares, pontos e restaurantes e depois vemos fotos de amigos e lugares que não conhecemos.
    Observei que o transito em Recife é bem complicado e à tardinha, nem se fala.

    Obrigada pelas informações;

    abração amigo.

    • Olá, Sol…

      Respondendo à questão sobre ir de carro para Carneiros, achei que é uma praia que fica muito distante de Porto de Galinhas e num local meio isolado, somando-se ao fato de que a estrada me pareceu um pouco isolada para o caso de um problema com o carro… Mas, para os guerreiros, vale a pena o risco…rs. Como também é uma atividade que deixa todo mundo cansado após o passeio de Catamarã, acho bem interessante voltar no conforto do ônibus até a pousada/hotel que se está hospedado em PG…rs. Grande abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *