Visita a Recife, Pernambuco: explorando ao máximo! DETALHADO!

“EU LEMBRO DA MOÇA BONITA DA PRAIA DE BOA VIAGEM…” (La Belle de Jour – Alceu Valença)

Partindo para a região que eu mais curto no Brasil, a região Nordeste, resolvi visitar a terra da La Belle de Jour, de Alceu Valença: RECIFE. A capital de Pernambuco é famosa por suas praias, mas também pela sua badalação, que geralmente ocorre durante o ano inteiro.

Minha missão era a seguinte: FAZER UMA VISITA A RECIFE DE MANEIRA EFICIENTE E, ACIMA DE TUDO: BARATA!! rsrs.

Numa visita a Recife, a famosa Praia de Boa Viagem foi apenas meu ponto de partida dessa viagem e lá pude encontrar gente bonita de todos os lugares possíveis. A extensa orla é recheada por ambulantes, bares e quiosques que servem uma cerveja geladinha e diversos petiscos que vão desde caldinho de sururu até casquinhas de caranguejo e muitas batidas de frutas da época. Essa não é uma praia permitida para banho, já que existe a presença de tubarões que são atraídos até mesmo próximo a beirada, bem próximo dos arrecifes, sendo apenas alguns locais suficientemente seguros e que oferecem salva-vidas. Placas alertando sobre tubarões para aqueles que se aventuram além dos arrecifes são comuns ao longo da orla e são, de certa forma, um cartão postal para aqueles que visitam a praia. Não é raro encontrar muitos turistas tirando fotos ao lado destas placas.

rec 1

tub

Para aqueles que estão em grupo, uma ótima dica é alugarem um carro (cujos preços não são exorbitantes, bastando apenas ter cuidado com as blitzes da Lei Seca, que são constantes) e explorarem a parte mais ao norte, passando por Olinda e chegando até a Ilha de Itamaracá, e a parte sul, chegando às Praias de Porto de Galinhas e Carneiros. A distância não é muita e, saindo de Recife, vocês levarão cerca de uma hora e meia para chegarem até a Ilha e uma hora para chegar até Porto de Galinhas.

Como me hospedei barato nessa visita a Recife:

No meu caso, como eu quis economizar um dinheirinho e ficar numa parte boa da região metropolitana, resolvi hospedar num município que é bem colado de Recife e, portanto, próximo de tudo de bom que a cidade tem a oferecer: Jaboatão dos Guararapes. Existem bons hotéis na principal praia desta cidade, a Praia da Piedade. Uma boa sugestão é o Prodigy Hotel Recife. Além do mais, é próximo também do Shopping Guararapes, que oferece uma oportunidade de fazer umas comprinhas, almoçar/jantar e abastecer o frigobar do hotel, se assim for necessário…rs. E, se o visitante estiver de carro, melhor ainda. Estar em Jaboatão e em Recife é praticamente a mesma coisa, de tão próximas que são essas cidades. Logo, consiste numa excelente dica para se economizar na questão da hospedagem…

O que fiz nessa visita a Recife?

Pode-se considerar que, numa ida a Recife, o ideal é não deixar de fazer o seguinte circuito: Recife – Olinda – Ilha de Itamaracá – Porto de Galinhas. E comigo não foi diferente… Seguindo essa sequência, foi possível, com o auxílio de um aluguel de um carro (reservado com semanas de antecedência pois às vezes não se encontra carro para alugar na hora em Recife na alta temporada… Sem falar que a antecedência pode gerar um descontinho considerável e, se você quer cobrir a região de maneira eficiente e está em grupo, torna-se uma alternativa mais em conta …rs.) e do mapa da cidade disponibilizado no hotel associado ao aplicativo Waze (rs), uma trajetória ideal foi a seguinte:

Iniciei o passeio começando pelo Recife Antigo (que não é muito grande), indo até o centro da cidade, estacionando o carro e explorando a região a pé, começando pelo Marco Zero. Um local muito bonito para tirar fotos, contando com o, bem próximo, museu de artesanato de Pernambuco e muitas construções antigas, tornando este local simplesmente indispensável. Bem próximo ao Marco Zero, é interessante andar pelas suas ruas e continuar observando as construções antigas, coloridas e, em sua maioria, conservadas. Bem próximo dali, foi possível conhecer andando, a Ponte Maurício de Nassau, o Paço Alfândega, Igreja de Santo Antônio e o Mercado São José (onde pode-se aproveitar para comprar os famosos souvenirs). Um pouquinho mais distante, mas que pode-se ir perfeitamente a pé também, fica a Casa da Cultura, que era uma antiga cadeia em Recife, onde pude observar uma grande variedade de peças de artesanato.

marco

rec 2

ponte

Para os amantes da arte, existe ainda, um pouco mais distante do Centro, o Instituto Ricardo Brennand, no bairro da Várzea, que é uma instituição cultural que, dentre outras obras presentes em seu acervo, possui a maior coleção do mundo de pinturas de Frans Post, com vinte obras.

Para os amantes do futebol, como eu, foi interessante dar um pulo também nos estádios dos grandes clubes de futebol pernambucanos: a Ilha do Retiro (Sport), Aflitos (Náutico) e Arruda (Santa Cruz).

sport

A distância do centro de Recife para esses estádios é bem pequena e, tanto de táxi, quanto de carro, quanto de ônibus, vale bastante a pena em termos de dinheiro e de tempo. Uma pena que, quando cheguei à Ilha do Retiro, a mesma estava fechada para uma pintura geral e não pude entrar no estádio…

 

Para meu segundo dia de passeio, achei interessante curtir a famosíssima Praia de Boa Viagem. É uma praia bonita, que conta com muitos barraqueiros oferecendo barracas, cadeiras, petiscos, bebidas e serviços. Andar pela sua orla também é um excelente passeio, tanto durante o dia quanto à noite. Para almoçar bem e, a um preço com excelente custo-benefício, recomendo a churrascaria Boi e Brasa, que fica na própria praia. E à noite, tomar uns drinks num dos quiosques à beira da praia ou em barzinhos como o Biruta Bar é uma excelente opção.

boa

Em termos de gastronomia, é interessante tirar um dia também para almoçar no famoso restaurante Parraxaxá, local onde você encontra um enorme buffet repleto de variedades típicas do local, além de outras delícias brasileiras. No quesito sobremesa, gostei muito do famoso bolo de rolo, fácil de encontrar em diversos pontos da cidade.

Começando agora a explorar o litoral norte, o dia seguinte pode foi dedicado a conhecer outra famosa cidade pernambucana: Olinda. Ao contrário do que muita gente pensa, as cidades de Recife e Olinda são super próximas: 7 km de distância (10 min de carro). Chegando lá, o grande lance é se perder nas ladeiras da cidade e bater ponto nos principais pontos turísticos da cidade, tais quais: o Mosteiro de São Bento, a Igreja do Carmo, O Convento de São Francisco, a Igreja da Sé e outras igrejas que são facilmente encontradas nas ladeiras.

Outro local bem curioso e que atrai muitos turistas é a casa de Alceu Valença, de onde da sacada da varanda da mesma este cidadão ilustre anima o famosíssimo carnaval de Olinda. Esse dia com certeza foi o mais cansativo pois andar por aquelas ladeiras foi bem desgastante, embora recompensador.

olinda

 

alceu

alceu 2

Por isso, reservei para o dia seguinte, a visita a Ilha de Itamaracá. Conforme citado anteriormente, é um pouco distante de Recife (1,5 h de viagem de carro), mas vale a pena conhecer essa atração, que é um outro município do estado de Pernambuco. Um local legal para ficar é próximo ao Forte Orange, que é um antigo forte que rende lindas fotos, e que possui próximo uma praia que conta com barraqueiros oferecendo barracas, cadeiras, petiscos e bebidas para os visitantes. Em frente a esta praia fica a praia da Coroa do Avião, que pode ser acessada pelos Catamarãs que ficam próximos à praia do Forte Orange, deixando o passeio ainda mais diversificado.

Finalizando o litoral norte, o próximo destino passou a ser o litoral Sul, partindo para o município de Ipojuca, chegando então a Porto de Galinhas, uma das melhores praias do Brasil. Existem boas pousadas lá, com preços bem acessíveis. Uma boa relação custo-benefício que encontrei foi a Pousada do Galo.

Ao chegar em Porto de Galinhas e acabar o check-in no hotel/pousada, parti logo para aproveitar a praia mais próxima, que é a Praia do Cupe. Tranquila e boa/calma para o banho, foi um bom aperitivo para as próximas atrações deste paraíso.

No dia seguinte, após verificar na própria pousada os melhores horários pela manhã para visitar as piscinas naturais de Porto de Galinhas (todo hotel/pousada oferece esse serviço), parti para esta aventura certo de que seria um dos melhores passeios que se pode fazer na vida. Ao chegar na Praia de Porto de Galinhas, com a maré baixa, foi possível ir de jangada (embora em alguns horários ser possível até mesmo ir andando) até as piscinas naturais. Nesse dia foi possível até mesmo mergulhar em algumas delas, e tirar as mais belas fotos junto com o peixinhos coloridos que ali ficam em contato direto com os banhistas. Um verdadeiro show oferecido pela natureza que deixa qualquer um maravilhado, tornando este passeio único.

Ainda ali perto, foi possível ver outras piscinas naturais em praias próximas, como a Praia de Maracaípe (onde fiz uma caminhada por esta outra praia tão linda e tão próxima de Porto de Galinhas).

Ainda em Porto de Galinhas, me informei no hotel/pousada em que se estava hospedado sobre uma opção de passeio à Praia dos Carneiros. É interessante ir com passeios ao invés de ir sozinho porque é uma praia um pouco distante de Porto de Galinhas, cujo acesso é razoavelmente complicado. Porém, indispensável para aqueles que visitam esse destino (NÃO DEIXE DE IR).

Ao chegar lá, achei melhor reservar o almoço no melhor restaurante de lá, o Bora Bora. Pratos deliciosos, em especial feitos com peixe, que deixam qualquer visitante satisfeito. Após deixar o pré-pedido do almoço, iniciei o passeio no Catamarã, percorrendo a Praia dos Carneiros, Praia de Guadalupe (onde pode-se experimentar o banho rejuvenescedor de argila) e Capela de São Benedito. Uma paisagem mais bonita que a outra. Após os passeios, retornei ao Bora Bora para almoçar e, em seguida, voltei junto com o grupo para a pousada. Um dia inesquecível.

porto

carneiros

E, para os dias em que eu quis curtir um passeio noturno, o centro de Porto de Galinhas foi a melhor opção, contando com restaurantes, lojas e feirinhas para os visitantes se distraírem, mas tudo com um preço super acessível.

Fazendo todos esses passeios citados nesse breve relato, posso dizer que o litoral de Pernambuco foi muito bem aproveitado e que o melhor deste estado foi explorado de maneira bem completa…

Curiosidades sobre Recife:

 . O nome Recife deriva de uma enorme muralha natural de rochedos de coral ou arrecifes que se estende paralelamente à costa e porque a origem do nome é um acidente geográfico – o recife. Por isso, o pernambucano usa o masculino quando se refere à cidade: “o Recife, do Recife”…

. Recife é uma das poucas cidades do Brasil que tem um cemitério exclusivo para os imigrantes ingleses e seus descendentes, que é o Cemitério dos Ingleses datado de 1852, que possui um administrador particular, não remunerado, eleito por ingleses e seus descendentes.

. Em Recife, existem desfiles de bonecos gigantes (também encontrados em Olinda/PE) que são uma das principais atrações durante o carnaval.

. A gastronomia pernambucana é super rica. Nela, destacam-se o queijo coalho, o escondidinho, a carne de sol e a tapioca. Além destes, o bolo Souza Leão, o bolo de rolo e a cartola receberam, por lei, status de Patrimônio Cultural Imaterial do Estado de Pernambuco.

Gostou desta dica? Se quiser ver mais dicas de viagens nacionais, clique aqui.



Booking.com

The following two tabs change content below.
Luiz Carahu é professor, carioca, e apaixonado pela arte de conhecer lugares novos. Sempre que é possível, dá uma escapada para dar uma monitorada no mundo e ver se está tudo em ordem pelo planeta Terra...

4 pensamentos sobre “
Visita a Recife, Pernambuco: explorando ao máximo! DETALHADO!

  1. olá, eu viajarei a recife em junho e estou procurando hoteis, achei este Nobile Style Maria Frazão, parece ser muito bom mas não tem comentários sobre ele no booking, será que existe algum lugar em que eu poderia achar as opiniões de pessoas que se hospedaram lá:

  2. Olá, Luiz!

    Eu e meu marido iremos pela primeira vez ao Recife, em setembro. Gostei das dicas, anotei e, tenho certeza, nos ajudarão muito.
    Obrigada!

    Luiza Helena Milhazes

  3. Excelentes dicas. Permita-me acrescentar que em Porto de Galinhas o assédio dos repentistas é insuportável. Só param de tocar quando recebem uma contribuição. E nadar com os peixinhos não tem preço. Valeu. Júlio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *