Visita a Roma com ida a Nápoles e Pompéia DETALHADO!

AH, A BELA ITÁLIA…

Numa dessas fugidas da vida que costumo dar para ver o que acontece no planeta azul, resolvi voltar à Itália, mais especificamente começando o passeio com uma visita a Roma. Voltar porque já estive lá anteriormente mas, apesar de ter feito um bom passeio e ter andando bastante, não tinha visto nem 30 % do que a cidade tem a oferecer. Neste meu retorno, que durou 4 dias (contra 2 dias da viagem anterior) consegui ver mais uns 60 %, mais ou menos…

Ou seja, AINDA

NÃO CONSEGUI VER TUDO! A cidade é impressionante… Quanto mais se anda, mais se percebe como se tem mais coisas para ver e fotografar… Realmente é um destino incomparável. Diante disso, vou tentar colocar aqui, nesta postagem, DA MANEIRA MAIS DETALHADA POSSÍVEL, a maneira como procedi desde que coloquei meus pés em Roma até o momento em que deixei a cidade para seguir para outros pontos da bela Itália…

Comecemos pela minha chegada ao Aeroporto Internacional Leonardo Da Vinci (Fiumicino), após um total de 13 hs de voo, vindo do Rio de Janeiro, com escala em Lisboa. Ao deixar a sala de desembarque, já começou o assédio dos ônibus especiais e das vans querendo oferecer serviço de transporte até seu hotel. Cheguei a ser abordado por italianos me oferecendo um ônibus por até 25 euros por pessoa (um total absurdo). Eu tinha pesquisado na internet e visto que existia tanto o serviço de trem quanto de ônibus (Leonardo Express) que leva o pessoal do aeroporto até a Estação de Termini (meu destino, pois meu hotel, o excelente Guest House Rome, ficava próximo à estação, o que inclusive sugiro como ponto de hospedagem pois é bastante estratégico e o lugar não é nada “esquisito” como alguns blogueiros costumam apontar) por +- 18 euros. Continuei achando meio caro…

Depois de ouvir algumas “ofertas” e prestar atenção nas placas do aeroporto, descobri a mina de ouro: existe um outro ônibus que leva o pessoal do aeroporto para Termini, incluindo a quantidade de malas você tiver, por 4 euros por pessoa. UMA PECHINCHA! O turista compra o bilhete num guichê que fica logo na saída do terminal do aeroporto e vai para o ponto de ônibus exclusivo que ele tem lá. Peguei esse ônibus numa boa, que sai de +- 30 em 30 minutos e cheguei em Termini em menos de 40 minutos, o que é bastante rápido, considerando que o centro histórico de Roma (bem próximo à Termini) é bem longe do aeroporto (+- uns 40 km). Inclusive já adianto aqui que utilizei o mesmo ônibus para voltar para o aeroporto, com toda a tranquilidade, que oferece saídas também de 30 em 30 minutos e cujo ponto fica na rua lateral à estação.

tambus roma

Bem… O próximo passo é sobre como passear por Roma. Para esses 4 dias, como tinha que reservar 1 dia para o bate-volta em Nápoles e Pompéia, considerei que tinha 3 dias para passear por Roma, sendo que Vaticano e Coliseu tinham que ser em dias separados por conta da grandiosidade de cada atração. Como meu perfil não é de “profundo amante da arte”, eu fiquei satisfeito de apenas tirar umas fotos e dar um giro rápido por cada uma dessas atrações (e das outras também) e acho que consegui aproveitar bem minhas visitas…

Mas vamos à estratégia adotada: em primeiro lugar, de posse do mapa disponibilizado pelo hotel em mãos, tive que me render aos serviços de uma das inúmeras redes de ônibus hop on hop off que a cidade oferece. É a maneira mais dinâmica de se deslocar pela cidade, se você está indo pela primeira vez ou se você tem poucos dias para ficar em Roma. Este ônibus oferece um circuito fechado pela cidade (acompanhado de mais um mapa oferecido pelo ônibus, que eu também usei junto com o que eu já tinha) passando e parando nos principais pontos turísticos da mesma, além de contar com um serviço de áudio em diferentes idiomas explicando a história de cada ponto turístico, à medida que eles vão aparecendo. E existe também a vantagem de se adquirir um passe em que você pode subir e descer várias vezes neste ônibus durante um determinado número de dias, podendo assim, num mesmo dia, ir rapidamente de um ponto turístico para outro, dinamizando o passeio pela cidade.

MAS CUIDADO: existem milhares de agências, principalmente próximas à Termini, que oferecem estes passeios por preços muito altos!! Um passe de 48 hs (que foi o que eu usei e acabou funcionando por 2 dias e meio…rs.) me ofereceram por até 40 euros por pessoa!!! E não tinha como pechinchar. Era esse preço e acabou! Só um rapaz que me ofereceu um descontinho que chegou a 35 euros. Mesmo assim resisti a essas agências e fiz o seguinte: fui até uma dessas paradas desses ônibus, que fica, para quem sai pela entrada frontal da Estação de Termini, do lado esquerdo, e negociei um passe desses diretamente com um despachante que fica no ponto do ônibus e consegui o melhor preço com ele: 25 euros. Utilizei um ônibus de cor amarela da rede Roma Cristiana. Não é tão barato assim mas foi disparado o mais em conta encontrado depois de longa pesquisa e achei que o custo-benefício valeu bastante a pena, considerando o número de vezes que utilizei o serviço nesses 3 dias de passeio por Roma.

roma cris

Iniciei meus passeios assim: no primeiro dia, após fazer o check in no hotel e pegar minha garrafinha para encher de água nas inúmeras fontes disponíveis pela cidade, fiquei livre para minha primeira saída por volta das 13 hs da tarde. Resolvi então dar uma volta para “reconhecimento” da região. Após adquirir o passe do hop on hop off, decidi parar em alguns pontos para tirar algumas fotos. Dentre os destinos visitados neste dia, resolvi ir primeiro na Bocca Della Veritá, que fica próxima ao Circo Massimo, um dos pontos de parada do ônibus.

Trata-se de uma atração bastante visitada, onde os turistas fazem longas filas para a tradicional foto colocando a mão dentro da boca da atração. O local também conta com uma pequena igreja onde pode-se comprar pequenos souvenirs relacionadas à Bocca Della Veritá. Já o Circo Massimo, que é apenas uma grande aŕea livre e de lazer utilizada pelos romanos e pelos turistas, é um local que apenas rende umas boas fotos para guardar de lembrança do local.

Retomando o ônibus, resolvi descer no ponto do Monumento Vitorio Emanuelle II para tirar umas fotos. O monumento é maravilhoso, feito de puro mármore branco e de uma grandiosidade que impressiona todos que o veem pela primeira vez. É possível subir suas escadas e tirar lindas fotos de cima do mesmo, com a cidade de Roma ao fundo.

ev2

      bocca

20150416_174841

Pegando novamente o ônibus, resolvi fazer minha última visita deste dia, já que estava bem cansado: a Piazza della Republicca. Trata-se de uma praça em formato semi-circular, muito bonita devido a seu chafariz localizado em seu centro e ótima para tirar fotos.

republica

No dia seguinte, fiz uma visita agendada: Museu do Vaticano e Capela Sistina. Resolvi usar o metrô pegando o mesmo na Estação Termini pois utilizando o ônibus eu iria me atrasar devido ao horário extremamente cedo que eu tinha que estar no Vaticano, um horário antes do horário de início da circulação dos ônibus.

FOI UM HORROR! Nunca peguei um metrô tão lotado na minha vida, nem no Brasil em horário de rush. Só peguei porque não tinha jeito mesmo: ou isso, ou milhões de euros perdidos num táxi…

Mas, enfim, voltando ao passeio: para este passeio, sugiro comprar os ingressos antecipadamente pela internet porque assim evita-se pegar filas quilométricas que existem praticamente durante todo o ano no local. A visita, em si, dura pelo menos umas 3 hs lá dentro, mesmo para pessoas como eu, que apenas querem tirar fotos e ver o principal. O museu é enorme, contando com um jardim imenso e com corredores e mais corredores passando por várias salas com suas diferentes obras de arte, culminando com a visita à Capela Sistina. É um passeio que impressiona novamente até quem já conhece o museu, devido à riqueza de detalhes que o lugar oferece, sendo impossível perceber tudo num único dia de visita.

 

 

Após o passeio pelo museu, visitei a Basílica de São Pedro, que fica na praça homônima. Um lugar impressionante pela grandeza, pelo valor histórico e pela imponência. Ótima para tirar fotos e, para aqueles que têm paciência para encarar filas, é possível visitá-la internamente, onde pode-se apreciar sua belíssima arquitetura e, subindo até o alto do Duomo da Basílica, pode-se tirar belas fotos da cidade de Roma e da Praça de São Pedro.

Obs.: Optei, nesse meu passeio ao Vaticano, visitar apenas os museus e a Capela Sistina, a Praça de São Pedro e a Basílica de São Pedro. Porém, o Vaticano tem inúmeras outras atrações, o que pode fazer com que aqueles que gostam de ver TUDO, perca até mesmo uns 2 dias para fazer a visita completa… Eu, pessoalmente, fiquei satisfeito com o que eu vi e achei suficiente…

vati

museu 3

museu v

museu v1

Pegando novamente meu fiel ônibus hop on hop off, resolvi visitar uma das atrações mais badaladas de uma visita a Roma: a Fontana de Trevi. Uma pena que a mesma estava passando por um momento de obras de manutenção. Tirei algumas fotos mas ela não estava no seu auge de esplendorosidade…rs. Mas nem por isso desanimei: comprei um gelato maravilhoso numa gelateria ao lado da Fontana e segui meu passeio, dessa vez à pé, até o Pantheon de Roma. Uma obra gigantesca, muito bonita e que atrai igualmente muitos turistas. Excelente para fotos novamente, devido à sua grandiosidade…

DSCN1383

DSCN1374

Seguindo a pé, fui dessa vez até a Piazza Navona, onde fotografei o chafariz mais bonito que vi em Roma. A praça é enorme, sempre bem cheia e inclusive tive o prazer de ver um grupo tocando “Garota de Ipanema” na praça para os turistas, em especial os brasileiros.

navona

A essa altura já estava quase no fim do dia e resolvi pegar meu onibuzinho de volta para o hotel. Mas antes, desci novamente no Monumento Vitorio Emanulle II para tirar umas fotos noturnas e não me arrependi: o lugar realmente vale a pena. E aproveitei para tirar mais algumas fotos da Piazza Venezia, que fica bem em frente.

No dia seguinte, já era o dia de visitar o Coliseu Romano via ônibus. Novamente, um dia para ter paciência pois a atração rende muitas filas para entrar, principalmente se você deixar para comprar os bilhetes na hora. Mas a visita vale a pena: tanto do lado de dentro quanto de fora, consegui minhas melhores fotos em Roma. A grandiosidade e imponência novamente impressionaram. Uma experiência única, que conta ainda com um pequeno museu dentro do mesmo, explicando a história do Coliseu. Perdi em torno de 2,5 hs lá dentro, contando com a fila e lembrando que eu tinha comprado tudo antecipadamente pela internet…

Após a visita ao Coliseu, tirei umas fotos ao lado do imenso Arco do Constantino, que fica ao lado do Coliseu e fui direto visitar o Palatino e o Foro Romano, pois também faziam parte das atrações oferecidas pelo ingresso. Dois lugares enormes! Me impressionei com o tamanho das ruínas do Foro Romando, onde pude sentir como realmente devia ser a Roma antiga e com o tamanho do Palatino, com seus jardins intermináveis e com a vista que eles oferecem da cidade de Roma, uma vez que eles ficam num ponto bem alto da atração.

foro

coliseu

Mesmo bem cansado, ainda reuni forças para ir até a Piazza de Spagna, uma praça maravilhosa, que conta com uma fonte e uma escadaria bem bonita que leva até a Igreja de Trinitá dei Monti. Rende muitas fotos. Está sempre lotada de gente e costuma ser ponto de encontro de turistas e romanos, tanto de dia quanto de noite. Andando mais um pouco, alcancei outra praça enorme de Roma: a Piazza Del Popolo. Grande mesmo! Muito bonita, com uma linda fonte, onde fica a Igreja de Santa Maria Del Popolo e cheia de gente. Pessoal aproveitando para tirar descansar de suas longas caminhadas, ouvir uma música tocada pelos populares e tirar muitas outras fotos.

DSCN1626

DSCN1628

Mais cansado do que tudo, resolvi voltar para meu hotel utilizando meu passe do ônibus novamente. Foi bem cansativo pois tive que voltar um bom pedaço pois o ponto mais próximo era perto do Pantheon, do qual eu estava extremamente longe… Mas o dia tinha sido bem legal…

OBS.: tudo o que foi relatado até aqui sobre essa visita a Roma foi com relação às atrações principais… Mas utilizando o ônibus hop on hop off é possível observar outras atrações menos populares igualmente bonitas e imponentes (Rio Tevere, inúmeras praças e igrejas, etc). A cidade de Roma é, realmente, um mundo à parte…

Meu último dia em Roma não foi em Roma: dediquei praticamente de maneira integral ao meu bate-volta Nápoles e Pompéia. Peguei um trem às 8 hs da manhã na Estação Termini até a Estação Napoli Centrale. Custou em torno de 18 euros e a viagem durou em torno de 2,5 hs.

Ao chegar em Nápoles, nem saí da estação: fui direto para Pompéia e deixei para conhecer Nápoles na volta. Peguei um trem por 5,60 euros e fui para lá, chegando em 35 minutos.

A cidade de Pompéia não possui muitas atrações. A zona arqueológica, que é praticamente a única atração da cidade, fica a 15 minutos a pé da estação e o ingresso custa 11 euros. Mas vale a pena: neste local, pode-se ver o que restou da cidade após a erupção do vulcão Vesúvio, que destruiu a cidade no ano de 79 d.c. A atração mostra, dentre outras riquezas arqueológicas, os corpos dos mortos moldados pela lava do vulcão, conservados até os dias de hoje. Esta visita, para quem tem o meu perfil, já citado anteriormente, deve durar, pelo menos, umas 2 hs ou 2,5 hs… Algumas agências também oferecem, por 20 euros, um passeio, digamos, inusitado: uma visita até o topo do vulcão Vesúvio, para conhecer a “boca” do mesmo e ver Pompéia lá do alto. Achei melhor, por questões epirogenéticas, não fazer esse passeio, embora tenha achado interessante (vai que…).rs.

pomp 1

pomp 2

pomp 5

DSCN1658

Resolvi, então, voltar para Nápoles. Peguei meu trem na estação de Pompéia, e voltei para a estação Napoli Centrale. Como esse dia era Domingo, a cidade estava meio vazia. Só consegui tirar as clássicas fotos das roupas secando nas janelas da cidade, um marco da mesma e comer uma tradicionalíssima pizza napolitana (a melhor que comi na Itália até hoje). Mas não consegui comer na famosíssima Pizzeria Da Michelle (não abre Domingo), que dizem ter a melhor pizza de Nápoles, embora só venda pizzas de 2 sabores: marinara ou marguerita. Filas e mais filas para comer a tal pizza de lá… Vai entender…rs.

 napoles 2

napoles

napoles 4

visita a roma

Fim de passeio, peguei novamente o trem para a estação de Termini, dormi minha última noite em Roma e segui para meu próximo destino que foi FLORENÇA… Esse contarei em outro post…rs.

DICAS IMPORTANTES SOBRE TREM NA ITÁLIA:

. Sempre que possível, compre todos os seus bilhetes com antecedência no site da Trenitália. Não é complicado e basta imprimir o voucher. Quanto mais próximo da data da viagem, mais caro fica o bilhete. Saiba, DETALHADAMENTE, como adquirir seus bilhetes de trem pela internet, sem stress, aqui.

. Para aqueles que sempre preferem comprar na hora e se preocupam com uma eventual falta de bilhetes, acho que raramente alguém deixa de viajar por esse motivo, pois existem muitos trens disponíveis e as linhas ferroviárias italianas são bastante organizadas, inclusive com relação aos horários de chegada e partida. Portanto, nunca cheguem atrasados.

. Comprar bilhetes na hora nas máquinas é muito simples. Pode-se comprar com euros em espécie ou com cartões de débito/crédito, escolhendo data hora, preço e tipo de trem que se deseja. Existe a opção de escolher o idioma espanhol para utilizar a máquina e é super tranquilo.  No meu caso, comprei utilizando cartão de crédito e tudo correu super bem.

. Viaje SEMPRE com seu voucher/bilhete em mãos pois o mesmo é solicitado por um funcionário da Trenitália ao longo da viagem.

DSCN1739

visita a roma

DICAS IMPORTANTES SOBRE ALIMENTAÇÃO NA ITÁLIA:

. Uma combinação muito utilizada por lá para almoço/jantar é o Primi piatti que acompanha o Secondi piatti. O Primi piatti é a massa, que se come primeiro e depois é servido o Secondi piatti, que é uma carne, frango ou peixe que se deseja. Para se comer barato na Itália, é preciso pesquisar um pouco porque uma combinação dessas pode variar de 7 euros até 18 euros por pessoa, de um restaurante para outro.

. E claro, não se pode deixar de considerar o Mc Donalds, presente em todas as estações de trem, para as grandes emergências…rs. Afinal, o lanche básico formado por um Big Mac, refrigerante e batata média alimenta razoavelmente bem e fica em “apenas” 6,50 euros…rs.

Gostou desta dica? Se quiser ver mais dicas de viagens internacionais, clique aqui.



Booking.com

The following two tabs change content below.
Luiz Carahu é professor, carioca, e apaixonado pela arte de conhecer lugares novos. Sempre que é possível, dá uma escapada para dar uma monitorada no mundo e ver se está tudo em ordem pelo planeta Terra...

6 pensamentos sobre “
Visita a Roma com ida a Nápoles e Pompéia DETALHADO!

  1. ADOREI O SITE DO LUIZ!!! SUPER EXPLICADINHO E DE FÁCIL ENTENDIMENTO!
    ESTOU INDO PRA LÁ NO CARNAVAL E ESPERO TER A CHANCE DE FAZER PELO MENOS A METADE DO QUE ELE FEZ!!! JÁ VOU FICAR FELIZ DA VIDA!!
    OBRIGADA!!

  2. Adorei suas dicas! Você poderia por gentileza informar em qual site comprou a visita ao Coliseu e ao Vaticano? Gostaria de deixar tudo agendado também! Valeu pelo site! Muito bom mesmo!

  3. Boa noite, estamos em 14/09/2017, isto é, dois anos após sua visita a Roma, descrita acima. Me deu vontade de comentar, porque você escreve muito bem! Me deu ótimas explicações, com muita clareza! Irei em outubro para Itália, e pretendo seguir um trajeto semelhante! Obrigada!,

  4. Oi Luiz, quanto tempo você levou para visitar Pompeia e Napoles, quero pegar um trem de Napoles para Salerno as 17h, voce acha que consigo fazer a visita tranquila?

    • Reservando 1 dia inteiro para Nápoles e 1 dia inteiro para Pompéia é possível visitar os pontos principais com tranquilidade. Mas acredito que chegando-se cedo para visitar Nápoles, às 17 hs já deu para ver bastante coisa na cidade (que, na minha opinião, não tem muito a oferecer tb…rs.) Grande abc…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *