Extraindo, em 3 dias, o melhor de uma visita a Amsterdam…

CHEGANDO PARA 3 DIAS NUMA DAS CIDADES MAIS “SIMPÁTICAS, DIVERTIDAS E VANGUARDISTAS” DA EUROPA…

Após fazer uma parada de trem super estratégica em Bruxelas, segui numa viagem de +- 2 hs até a capital dos Países Baixos, Amsterdam, a cidade dos belos canais, mais precisamente chegando (via companhia ferroviária Thalys) na estação Amsterdam Centraal (que fica no centro da cidade). Eram por volta de 19:30 hs mas, como em agosto os dias são mais longos na Europa (só anoitece por volta das 21:15 hs), ainda era bem cedo para pensar em ficar no hotel…

Após fazer o checkin no Fine Seasons Hotel, que fica bem próximo da estação de trem Amsterdam Centraal, por volta das 20 hs já estava na rua (com o mapa da cidade fornecido pelo hotel em mãos) para sair pela cidade e fazer o reconhecimento de campo…

O bom de uma visita a Amsterdam é que a maioria das atrações estão localizadas nesse

grande centro, o que faz com que grande parte do passeio pela cidade seja realizado caminhando. Diante disso, comecei o passeio caminhando até uma atração que se localizava relativamente próxima ao hotel no qual estava hospedado: a Red Light District, que trata-se de uma região da cidade onde as mulheres se prostituem, exibindo-se semi-vestidas através de portas de vidro com luzes vermelhas em buscas de clientes (lembrando que, nos Países Baixos, a prostituição é legalizada, assim como o consumo de maconha dentro das lojas denominadas coffeshops). O mais curioso é que nesta região é possível ver tanto homens, quanto mulheres, quanto crianças frequentando as ruas e vendo essa prática. Trata-se um acontecimento perfeitamente normal naquele local. A única prática que não é permitida é tirar fotos das mulheres trabalhando…

img_20160812_093532828_hdr

img_20160811_223719460

Depois de conhecer a Red Light District e fazer um lanche num restaurante local para repor as energias perdidas na viagem de trem até Amsterdam, voltei para o hotel para descansar e, no dia seguinte, iniciar meu segundo dia na cidade.

Comecei meu dia bem cedo chegando por volta das 9 hs nos arredores da estação Amsterdam Centraal, para um passeio de barco pelos canais da cidade, com duração de +- 1 h. Vale bastante a pena pois o passeio (+- 17 euros) possui um áudio em português disponível e passa pela maioria das atrações da cidade, contando a história dos monumentos e da cidade. Bem agradável e divertido…

Depois do passeio, bem em frente ao ponto de saída/retorno do passeio de barco, fiz uma visita bem divertida ao Museu do Sexo. Por 5 euros, é possível entrar no estabelecimento e se divertir com as exposições que lá se encontram…rs.

Após essa visita, segui para conhecer a Praça Dam, bem próxima dali, e que rende ótimas fotos. Ali estão localizados o famoso Museu Madame Tussauds e o Palácio Real, que são pontos imperdíveis de uma visita a Amsterdam. Também é um local interessante para se adquirir os famosos souvenirs nas lojinhas disponíveis por ali ou no Magna Plaza (shopping próximo ao local).

img_20160812_115512510

img_20160812_115530564

img_20160812_115644282

img_20160812_111832252

Dali, segui para uma visita à Praça Rembrandt, famosa por seus bares e restaurantes, que são convidativos tanto de dia quanto à noite, tornando a região uma das mais agitadas da cidade. O nome da praça é em homenagem ao famoso pintor holandês homônimo e uma estátua do mesmo está disponível no centro da praça para belas fotos locais.

Após almoçar num dos restaurantes locais, segui meu passeio caminhando para curtir a famosa Heineken Experience (+- 18 euros). Trata-se de passeio pelo interior da famosa cervejaria, onde pode-se conhecer a história da cerveja, desde sua criação, passando pelo processo de fabricação, culminando com a degustação no final do passeio. Uma atração interessantíssima da cidade, também de caráter indispensável. Detalhe: é possível comprar uma garrafa de cerveja personalizada (+- 10 euros), com seu nome gravado na mesma. Uma boa lembrancinha local…

img_20160812_122038655

img_20160812_133222082

Novamente caminhando, parti para a Museumplein, onde localizam-se os famosos Rijksmuseum (onde em frente ao mesmo encontra-se o monumento da famosa frase turística “I AMSTERDAM”), o Museu Stedelijk e o Museu Van Gogh. Como já mencionei em posts anteriores, não sou fã de museus e não entrei em nenhum deles… Mas registrei todo o externo dos museus em fotos inesquecíveis… Por ali perto também está localizado o parque Vondelpark, que é ótimo para dar uma caminhada numa bela área verde da cidade e fazer excelentes registros fotográficos.

img_20160812_153814131

img_20160812_154838273

Nesse momento já eram por volta das 17 hs. Resolvi voltar para o hotel para um descanso até umas 21 hs (afinal ninguém é de ferro…rs) e dar uma nova saída pelas ruas próximas ao centro, para conhecer as ruas com seus canais, comprar alguns souvenirs e jantar. Nada muito cansativo, pois o dia já tinha sido “puxado” e o dia seguinte também prometia… Após o jantar, por volta das 23:30 hs já estava de volta ao hotel para dormir e me recuperar para o dia seguinte…

Para iniciar o dia, resolvi novamente caminhar pela cidade. Conhecer a mesma a pé, passeando pelas suas ruas sem destino, para sentir a rotina dos cidadãos holandeses…rs. E, após andar bastante e conhecer uma nova parte da cidade à pé, vi que para me aproximar ainda mais da rotina do cidadão local eu precisava alugar uma bicicleta, que é um dos símbolos da cidade e um dos principais meios de transporte local. Então, quando estava próximo ao Nationale Opera & Ballet, aluguei uma bicicleta na MacBike (11 euros por 3 horas) e me senti um verdadeiro holandês…rs. Agora, já sobre duas rodas, fiz outro passeio indispensável para quem faz uma visita a Amsterdam: conhecer um moinho de vento. Para tal, escolhi o moinho De Gooyer que, além de ser muito bonito, ainda fica em cima da cervejaria Brouwerijt, que oferece um bar aos pés do moinho para aqueles que desejam curtir uma gelada e uns petiscos locais. Vale muito a pena, pois é um moinho bem próximo ao centro da cidade e de fácil acesso.

Saindo do moinho, parti para conhecer o museu da Casa de Anne Frank, no bairro do Jorddan, cujas filas são quilométricas. Um passeio interessantíssimo para os fãs de museus… Para mim, bastaram as fotos da fachada… Não estava disposto a enfrentar a infinita fila que se forma quase que diariamente para entrar no museu… Preferi curtir um passeio pelas ruas do Jorddan, que é um bairro interessantíssimo da cidade…

Para finalizar o último dia de visita a Amsterdam, após devolver a bicicleta na Macbike, resolvi descansar mais uma vez no hotel e, por volta das, 20 hs, saí para a última night na cidade… Mas dessa vez no bairro onde fica a Leidseplein, famosa pelas nights animadas, com seus bares, restaurantes, teatros e coffeshops… Foram minhas últimas cervejas na cidade…rs.

img_20160813_102424224

img_20160812_202549497

img_20160812_203349901

img_20160812_162952289_hdr

img_20160812_163342168

img_20160813_241533523

No dia seguinte, bem cedo e bem triste, parti para o Aeroporto de Schiphol, a partir da estação Amsterdam Centraal (+- 15 min de viagem) para o retorno ao Rio de Janeiro (voo às 10:30 hs)…rs. Afinal, era o fim da viagem e a realidade estava próxima novamente… Mas, é claro, já pensando no próximo destino…rs.



Booking.com

The following two tabs change content below.
Luiz Carahu é professor, carioca, e apaixonado pela arte de conhecer lugares novos. Sempre que é possível, dá uma escapada para dar uma monitorada no mundo e ver se está tudo em ordem pelo planeta Terra...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *