Visita ao Rio de Janeiro em 4 dias: segundo ato!

Fugindo do convencional carioca…

Esse post tem por objetivo oferecer ao leitor um roteiro alternativo de visita ao Rio de Janeiro, para aqueles que já estiveram na cidade pelo menos uma vez (mas caso seja sua primeira vez na cidade, aproveite um excelente roteiro de reconhecimento local clicando aqui) e, nesse retorno, deseja sair das visitas aos pontos turísticos clichês e conhecer outros locais interessantes da cidade. Porém, aproveitando com o mesmo entusiasmo de antes, como se fosse a primeira vez na cidade.

E, no caso de uma visita ao Rio de Janeiro, montar um roteiro alternativo não é difícil. A cidade, além de ser enorme, possui uma diversidade de

atrações absurda! É possível voltar à cidade inúmeras vezes e se sentir como se fosse a primeira vez em todas elas.

Para começar, após chegar via aeroporto (ver dicas de chegada no primeiro post sobre visita ao Rio de Janeiro, clicando aqui) uma sugestão de hospedagem fugindo da convencional: longe da muvuca de Copacabana (assim como sugeri no primeiro post que fiz sobre uma visita ao Rio). Uma boa opção é o Mercure Botafogo Mourisco, Boa relação custo-benefício, local tranquilo, longe da agitação de Copacabana, próximo ao metrô e mais em conta do que ficar num hotel de mesma categoria em Copacabana (bairro mais visado pelos turistas). Até porque Botafogo é um bairro vizinho à Copacabana e o turista está a apenas UMA estação de metrô de Copacabana. Ou seja, a 2 minutos do famoso bairro. Sem falar que fica bem próximo da região de bares da Rua Voluntários da Pátria (mais popular) e da Rua Nelson Mandela (mais sofisticado), onde a vida noturna é bem convidativa para tomar aquela cervejinha e curtir um bom petisco…

Para um primeiro dia de visita ao Rio de Janeiro, curtir uma praia carioca é uma boa pedida. E uma das melhores praias da cidade (fugindo das praias clichês, como Copacabana e Ipanema) é a praia da Barra da Tijuca. A Barra é um bairro em constante expansão, onde seus moradores em sua maioria são de classe média alta ou alta. Fica na zona oeste da cidade e suas praias (com 18 km de extensão) em sua maior parte são bem estruturadas com quiosques e ambulantes e bastante apreciadas pelos cariocas. E o melhor de tudo: agora é possível chegar até a praia da Barra de metrô (obs.: a estação Botafogo possui terminais para se adquirir o Riocard, cartão inteligente de transporte que pode ser carregado na própria máquina com um valor em dinheiro para pegar tanto ônibus quanto metrô sem precisar pegar filas). Com a conclusão das obras, a estação Jardim Oceânico já está em funcionamento e é uma ótima opção de acesso à praia do bairro. Saindo da estação, a praia fica a uns 15 min de caminhada. Iniciar o primeiro dia de visita à cidade conhecendo a praia da Barra é uma ótima pedida.

Após sair da praia, para almoçar existem várias opções de restaurante no bairro do Jardim Oceânico, onde fica a estação do metrô. Sem falar nos barzinhos e lanchonetes também disponíveis no local. Assim, é possível terminar o primeiro dia no bairro da Barra, que é super bem estruturado e não deixa a desejar em relação a outros bairros da zona sul da cidade.

Para o segundo dia, uma visita à Lagoa Rodrigo de Freitas, provavelmente uma das lagoas mais bonitas que o turista vai ver na vida. E, para chegar até lá, a melhor opção também é o: metrô. Agora, na estação General Osório, também existe uma saída que dá acesso à Lagoa, próximo à Ipanema.

A Lagoa Rodrigo de Freitas é super convidativa para fazer uma caminhada, andar de bicicleta, andar de skate, andar de pedalinho ou simplesmente para curtir sua beleza. Ao circundá-la, passa-se por diversos bairros famosos da cidade, que oferecem as seguintes opções de visita: no bairro Leblon, é possível visitar o Clube de Regatas do Flamengo, que fica bem às margens da lagoa; ao passar pelo bairro Jardim Botânico, pode-se visitar tanto o Jardim Botânico (R$ 15,00 a entrada), quanto o Parque Lage (gratuito).

À noite na lagoa, do lado do Jardim Botânico (Av. Borges de Medeiros), existe uma região de barzinhos com música ao vivo, que atraem os turistas interessados em vida noturna regada a uma cervejinha gelada e petiscos de qualidade junto a uma paisagem encantadora que é a Lagoa Rodrigo de Freitas à noite. Com isso, fecha-se o segundo dia de visita.

Para o terceiro dia de visita, utilizando novamente o metrô, é possível fazer pela manhã uma visita a Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão. Descendo na estação de São Cristóvão, em 2 min já é possível estar dentro da Quinta da Boa Vista. Trata-se um local de grande importância histórica, devido ao fato de ter sido o Museu Histórico Nacional que lá se encontra (vale a visita) a residência oficial da família real de 1808 a 1889. Além de ser um parque urbano super convidativo para caminhadas, andar de bicicleta ou skate antes de fazer uma visita ao Jardim Zoológico da cidade, que encontra-se também dentro do parque (R$ 15,00).

Saindo da Quinta, se for num final de semana, é possível ir andando até a Feira de Tradições Nordestinas, que fica bem próximo dali, para almoçar uma comida típica nordestina numa de suas inúmeras barracas. Trata-se de um local super animado que, além das comidas típicas, possui shows de repentistas, bandas de forró, feiras de artesanato e, claro, cerveja gelada.

Se ainda sobrar energia, numa caminhada de 12 min é possível chegar até o Estádio de São Januário, sede do Clube de Regatas Vasco da Gama, que também fica no mesmo bairro. Para quem gosta de futebol, é uma ótima opção de passeio para agregar ao dia de visita a São Cristóvão. E assim fechar o terceiro dia na cidade.

O quarto dia pode ser aproveitado no subúrbio da cidade: uma visita ao famoso bairro de Madureira, na zona norte da cidade. O acesso pode ser feito utilizando o sistema de ônibus rápido da cidade, o BRT, da seguinte maneira: indo de metrô até a estação Jardim Oceânico e de lá pegar o ônibus na estação de BRT também chamada Jardim Oceânico, que fica “acoplada” à estação de metrô do Jardim Oceânico (NÃO desembarque da estação de metrô pois a transferência é feita internamente). Ir até a estação Alvorada do BRT e de lá pegar o ônibus do corredor Transcarioca até a estação Madureira (Paulo da Portela) do BRT. Chegando lá de manhã, é interessante fazer uma visita ao Parque de Madureira, para uma caminhada por uma área arborizada, com quadras esportivas para os frequentadores, que oferecem barzinhos e restaurantes para a reposição das energias e dois espaços culturais: a Arena Carioca e a Praça do Samba.

Após o almoço, algumas opções do bairro são: visita às agremiações Portela ou Império Serrano (escolas de samba), famosíssimas no bairro (mas que possuem programações próprias que precisam ser previamente consultadas aqui) e uma visita ao Mercadão de Madureira, famoso pelos preços super em conta e variedade de produtos oferecidos, desde material escolar das crianças até bebidas nacionais e importadas. Além de tudo, ainda existe aos sábados às 22 hs uma excelente opção de vida noturna: o famoso Baile Charme do Viaduto de Madureira, que fica tradicionalmente lotado!

Com esse roteiro, pode-se dizer que o turista, nessa segunda visita ao Rio de Janeiro, passou a conhecer um outro lado da cidade, fugindo do tradicional e aproveitando outros pontos que a cidade tem a oferecer, igualmente interessantes.

 
Booking.com

The following two tabs change content below.
Luiz Carahu é professor, carioca, e apaixonado pela arte de conhecer lugares novos. Sempre que é possível, dá uma escapada para dar uma monitorada no mundo e ver se está tudo em ordem pelo planeta Terra...

Um pensamento sobre “
Visita ao Rio de Janeiro em 4 dias: segundo ato!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *